Roberto Loeb, Por Polyana

Imagem 01 – Roberto Loeb. Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Formou-se pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Mackenzie em 1965, onde também deu aulas de projeto.
Participou de vários concursos, nacionais e internacionais. Também expôs seus projetos em Paris, São Paulo e Rio de Janeiro. Criou vários projetos comerciais, administrativos, sociais, residenciais, culturais e diversas outras áreas.
Atualmente, ele trabalha no desenvolvimento de projetos comerciais, residenciais e corporativos e também participa de concursos nacionais e internacionais.

Imagem 02 – Natura – Cajamar / SP. Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Os espaços da obra foram distribuídos ao longo do Vale do Rio Juqueri, com linhas horizontais predominantes. O complexo é composto por 12 edifícios interligados através de passarelas, que permitem uma interligação entre o interno e o externo. Os materiais utilizados foram concreto, vidro e estruturas metálicas.

Imagem 03 – Passarela que interliga ambientes e o uso dos materiais mais utilizados. Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Imagem 04 – Passarelas que interligam blocos. Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Imagem 05 – Passarela – evidenciando a estrutura e a vedação. Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Imagem 06 – Vista geral da obra – passarela, espelho d’água, volumes. Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Por se tratar de um “Campus” industrial, apresenta grandes volumes, com traços marcantes e imponentes. O projeto assume os materiais utilizados, deixando aparente as estruturas e as vedações.
Segue os conceitos de Green Building e procura otimizar os trabalhos, não só durante a execução da obra, mas também depois da conclusão, quando os edifícios já estarão sendo utilizados pelos colaboradores e visitantes da fábrica. Tem flexibilidade nos espaços, que permite a alteração de layout com grande facilidade.
Todos os espaços possuem sistema de ar condicionado que é controlado por termostatos que garantem a qualidade do ar e o conforto, além de que, uma indústria do ramo necessita que as temperaturas estejam amenas para garantir a qualidade dos produtos.
A grande utilização do vidro permite que a iluminação natural tenha grande incidência e a iluminação artificial é distribuída em diferentes níveis – baixo, médio e alto.

Imagem 07 Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Imagem 08 Fonte: http://www.robertoloeb.com.br

Para garantir a qualidade da água do Rio que passa nas proximidades, o complexo possuí uma estação de tratamento de efluentes de alta tecnologia e capacidade de atender uma cidade de 45mil habitantes. A água utilizada é retirada de um poço artesiano que passa por tratamento em uma estação que também faz parte do complexo, a qual recebe grande atenção, já que a água é matéria prima de grande parte dos produtos oferecidos pela empresa. Buscando sempre a otimização, são utilizadas tecnologias de energia limpa, como a solar, que permitem a redução de gastos.
Percebe-se que para que a arquitetura seja de boa qualidade, na contemporaneidade, não é só com forma ou os materiais utilizados que o arquiteto necessita se preocupar. É necessário que sejam levados em consideração aspectos ecológicos, geográficos e tecnológicos. Deve-se observar que o que está em alta na atualidade são os edifícios de alto desempenho, que permitem economia e alta produção, sem prejudicar o meio ambiente.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s