Neoclássica

PERÍODO NEOCLÁSSICO NO BRASIL

• Características sociais e econômicas:

O principal acontecimento que provocou a mudança do estilo colonial para o neoclássico foi a vinda da familia real portuguesa em 1808, com uma cultura mais requintada, assim houve a necessidade da instalação de bibliotecas, teatros e escolas. Antes da corte portuguesa vir para o país, ele era apenas uma a colônia de portugal , não tinha espaços para o lazer e cultura, mas de simples colônia passa a ser a sede da corte, novos hábitos e necessidades são criados.
Nesse período houve a abertura para o mercado mundial, como forecedor de matérias-primas, e como consumidor de mercadorias manufaturadas dos países industrializados (Inglaterra/França).

Imagem 01 – Teatro Santa Isabel Recife. (MONTEZUMA, 2002, p. 149)

Características Arquitetônicas:

Com uma nova configuração social e econômica a casa e a cidade passam a receber uma nova imagem. Mas esta nova arquitetura era destinada apenas para a elite, não se constroem mais “casinhas”, começam os palácios.
Analisando esta nova arquitetura, observa-se que o esquema das plantas continua simplificado, num primeiro momento, com paredes grossas, alcovas e corredores, telhados elementares e balcões de ferro fundido, o que dificulta a datação destes prédios. Alguns casos a porta da frente, de maiores dimensões, abre para um saguão relativamente amplo, valorizando por barras de azulejos coloridos e escada de madeira torneada (valorização dos interiores). (Villela, Ana Laura, 2009)
Isso porque muitos dos donos destas construções eram os senhores rurais que adotaram moradias urbanas, trazendo elementos coloniais e adicionaram o neoclássico como sinônimo de status.

Imagem 02 – Centro Antigo – Belém/Pará – Uso do azulejo colorido. (Villela, 2007)

Imagem 03 – Centro Antigo – Belém/Pará – Uso do azulejo colorido. (Villela, 2007)

Imagem 04 – Centro Antigo – Belém/Pará – Uso do azulejo colorido. (Villela, 2007)

Imagem 05 – Centro Antigo – Belém/Pará – Uso do azulejo colorido. (Villela, 2007)

Principais características deste movimento artístico na arquitetura são:
• Materiais nobres (pedra, mármore, granito, madeiras)
• Processos técnicos avançados
• Sistemas construtivos simples
• Esquemas mais complexos, a par das linhas ortogonais
• Formas regulares, geométricas e simétricas
• Volumes corpóreos, maciços, bem definidos por planos murais lisos
• Uso de abóbada de berço ou de aresta
• Uso de cúpulas, com frequência marcadas pela monumentalidade
• Espaços interiores organizados segundo critérios geométricos e formais de grande racionalidade
• Pórticos colunados
• Entablamentos direitos
• Frontões triangulares
• A decoração recorreu a elementos estruturais com formas clássicas, à pintura rural e ao relevo em estuque
• Valorizou a intimidade e o conforto nas mansões familiares
• Decoração de carácter estrutural

Imagem 06 – Teatro da Paz_Belem do Para – José Tibúrcio Magalhães (1874). (Villela, 2007)

Outros elementos arquitetônicos presentes são os frontões triangulares, (geralmente com brasões), colunas, arco romano, platibanda, guarda-corpo, bandeira decorada, simetria, compoteiras, com valorização do interior, vasos, pináculos, vidro, ânforas, estátuas ou fruteiras, marcando as fachadas. (Muitos desses ornamentos eram importados da Europa).

Imagem 07 – Palácio dos Governadores – Belém/Para – Antônio José Landi (1767). Modificado por Ana Laura Villela (MONTEZUMA, 2002, p. 142)

Quanto à ornamentação nota-se que a mesma ocorre em níveis diferentes, aumenta e diminui. E as cores mais utilizadas foram o branco e o ocre, por falta de possibilidades de outras cores.

Imagem 08 – Antiga Alfandega_Rio de Janeiro (MONTEZUMA, 2002, p. 146)

As fachadas, fora alguns detalhes, continuam conformando linhas contínuas sem quebrar a monotonia da paisagem das cidades.

Imagem 09 – Palácio Imperial atual Museu Imperial – Petropolis/Rio de Janeiro (MONTEZUMA, 2002, p. 146)

• Características Urbanas:

Quanto aos aspectos urbanísticos começam surgir os jardins e até chafarizes, estes circundados por gradil de ferro, delimitando o espaço público do privado.
Este período influenciou muito no urbanismo, a imagem das cidades mudou completamente. Derrubaram-se edifícios e largas avenidas foram traçadas de acordo com as formas monumentais da arquitetura renovada, ainda existentes nas mais importantes capitais da Europa e aparecem os passeios públicos.

Imagem 10 – Palácio Itamaraty/RJ (www.wikipedia.org)

Imagem 11 – Palácio Itamaraty/RJ (www.wikipedia.org)

Imagem 12 – Casa do Barão Rodrigues Mendes, atual Sede da Academia Pernambucana de Letras – Recife/Pernambuco (MONTEZUMA, 2002, p. 150)

Referências:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Neoclassicismo, acessado em 05/10/09;
– TIRAPELI, Percival. Arte Imperial: do Neoclássico ao Ecletismo – São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2006.

  1. 22/03/2010 às 14:33

    Mto bom!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s